Home / Nutrição / Alimentação Saudável / Alimentação voltada para gestantes

Alimentação voltada para gestantes

Dicas de uma alimentação balanceada para gestante sem riscos para o bebê

gravidaA gravidez modifica hábitos alimentares, padrões de atividade física, estado emocional, sensibilidade à insulina e produção de hormônios. Essas mudanças alteram o metabolismo de carboidrato e as necessidades de insulina. Para determinar o plano alimentar da gestante é necessário adaptar as suas recomendações nutricionais a partir de uma avaliação completa considerando idade, peso e altura.

O consumo energético deve ser o suficiente para se manter um ganho ponderal de peso durante a gravidez e satisfazer o apetite: em média 300 calorias a mais a partir do segundo trimestre.

As gestantes com diabetes e com obesidade devem consumir o mínimo de 1800 calorias por dia para que não existam efeitos adversos da mãe ao feto.

As recomendações das proteínas, gorduras, vitaminas e minerais são iguais às das gestantes não diabéticas.

A vontade extrema e repentina da mulher para comer determinados alimentos tem um forte componente psicológico, associando-se frequentemente a sensações de insegurança e à necessidade de mais atenção, típicas desse momento de vida, mas não há dúvidas de que também existe uma origem fisiológica a impulsionar estas necessidades. Por outro lado, alguns hormônios liberados ao longo da gravidez (tais como HCG e progesterona) são os maiores responsáveis pelas alterações no apetite, no paladar e no olfato que justificam mudanças de comportamento alimentar da grávida no que diz respeito ao aumento da quantidade de alimentos ingeridos e à alteração das suas preferências alimentares. Para isso, a grávida deverá sempre informar o profissional de saúde que a acompanha durante a gravidez dessas necessidades que tem sentido, para que ele a ajude a reduzir o efeito fisiológico que possa provocar este comportamento e a auxilie a elaborar um plano para controlá-lo.

O controle rígido dos níveis sanguíneos de glicose é essencial para o sucesso da gravidez e deve ser feito através de uma dieta equilibrada e atividade física. As gestantes com diabetes pré-existentes e uma parcela das diabéticas gestacionais também necessitam de tratamento com insulina (insulinoterapia). Uma das ferramentas nutricionais que temos para controlar melhor a alimentação é a contagem de carboidratos.

Ela pode ser utilizada por qualquer pessoa com diabetes, incluindo a gestante. Sua aplicação deve ser inserida dentro de um contexto de alimentação saudável, independente do tipo de diabetes. Os princípios básicos do método se aplicam a todos, porém as relações unidades de insulina x gramas de carboidratos consumidas são estabelecidas individualmente, podendo ser diferentes para cada refeição. Por exemplo, no café da manhã, a pessoa pode necessitar de uma unidade de insulina para cada 10g de carboidratos consumidos enquanto que no almoço uma unidade de insulina é suficiente para cobrir 15g. Estas diferenças só podem ser observadas após um período de registro, discussão com a equipe para gradualmente estabelecer quais as reais necessidades de cada um.

O que acontece é que na gestação a partir do segundo trimestre da gravidez, a necessidade de insulina aumenta, fato esse perfeitamente contornável em gestantes não diabéticas com o aumento da secreção pancreática de insulina, ao passo que nas gestantes diabéticas esse mecanismo está alterado e determina a hiperglicemia (aumento da glicose no sangue). E por esse motivo ao longo dos nove meses essa relação insulina X carboidrato varia bastante e dessa forma é necessário o contato direto com a equipe para que esse ajustes sejam feitos a fim de evitar os picos de glicemia que são prejudiciais para a mãe e para o bebê.

Porém, caso haja um exagero no consumo de calorias, a energia ficará armazenada como gordura localizada. Por isso é importante manter uma alimentação balanceada e contendo todos os nutrientes importantes e necessários para o desenvolvimento do feto. Evite os excessos!!!

Artigo escrito por Tarcila Beatriz Ferraz de Campos, nutricionista do Grupo de Educação em Diabetes do Hospital Alemão Oswaldo Cruz.

O Portal De Bem Com a Vida preparou uma tabela com alguns alimentos a serem evitados durante gestação:

box1

Vanessa Pirolo

Jornalista, criadora do blog convivência com diabetes, tem diabetes desde o seus 18 anos, e redatora do Portal DBCV. Quer me conhecer melhor? Então, clique aqui!

More Posts - Website

Deixe Seu Comentário

comentários

Veja também

Ginger tea

Conheça as vantagens em consumir gengibre!

Propriedades Medicinais do Gengibre O gengibre (Zingiber officinale) é uma planta herbácea da família das ...