Home / Nutrição / Alimentação Saudável / Benefícios da Castanha do Pará

Benefícios da Castanha do Pará

5 Benefícios encontrados na ingestão de 2 castanhas do pará por dia

castanha do paraNativa das Guianas, Venezuela, Brasil, Colômbia, Bolívia e Peru, a castanha do pará é uma semente com alto valor calórico e proteico. É rica em ômega 3, fibras e minerais muito importantes para o organismo.

Para detalhar os 5 benefícios mais importantes da castanha do pará, o Portal De Bem com a Vida entrevistou a nutricionista Nicole Trevisan.

Por ser muito rica em selênio, já que possui 4mg a cada 10 g da castanha, proporciona para o organismo uma importante ação antioxidante, com atuação em todas as células, o que previne o envelhecimento e inúmeras doenças. Além de proteger o sistema nervoso, evita a perda de memória e diminui o risco do surgimento de algumas doenças como Alzheimer e Parkinson. O selênio tem um papel importante no metabolismo dos hormônios tireoidianos.

O segundo benefício é que possui vitamina E, cuja ação é antioxidante, e atua na prevenção de doenças cardiovasculares e na incidência de alguns tipos de câncer, como o de próstata, segundo alguns estudos. Além disso, o consumo diário indica uma redução dos índices lipídicos, o que favorece a saúde coronariana e o controle da glicemia. Por reduzir a oxidação de LDL triglicérides e manter os níveis de HDL, devido também à presença de ômega 3 e ômega 6, influencia também a saúde do coração.

Outros nutrientes encontrados são os fitoesteróis e os polifenóis. São bioativos presentes nas sementes e que contribuem para a redução de doenças crônicas. Os fitoesteróis inibem a absorção do colesterol proveniente da dieta. Os polifenóis conferem propriedades antioxidantes, anti-inflamatórias e quimiopreventivas.

A quarta vantagem em consumi-la é que a castanha do pará possui boas quantidades de fósforo, que auxiliam na saúde dos ossos, além dos sistemas nervoso e muscular.

E por último, sua composição apresenta a presença do potássio, que proporciona desde o controle da pressão arterial até a diminuição do risco de doenças cardiovasculares, sem citar a diminuição da excreção de cálcio pela urina.

A nutricionista alerta que é importante saber a procedência: “como hoje encontramos muitos fungos e também o solo está empobrecido, podemos ter várias castanhas no Brasil com diferentes teores de nutrientes, de alguns estados são mais nutritivas que de outros. Sempre melhor comprar as selecionadas que já vêm embaladas ao invés das soltas, onde podem estar mais contaminadas por fungos”.

“Para ingeri-las há algumas dicas: devem ser inseridas nos lanches intermediários, misturadas a outras oleaginosas em uma porção do tamanho da palma da mão e evitar comê-las com a ingestão de cafeína, pois pode atrapalhar a absorção do cálcio do leite. Outra dica é comer duas unidades diárias, o seu consumo excessivo pode ser prejudicial na manutenção do peso corporal, uma vez que ela é muito calórica. Se a pessoa passar dessa quantidade, há os efeitos tóxicos do excesso de selênio que originam: fragilidade e perda de unhas e cabelos, distúrbios gastrointestinais, mau-hálito, fadiga, irritação e anormalidades do sistema nervoso. Por isso, nada melhor que consumi-las com moderação”, finaliza Nicole.

Vanessa Pirolo

Jornalista, criadora do blog convivência com diabetes, tem diabetes desde o seus 18 anos, e redatora do Portal DBCV. Quer me conhecer melhor? Então, clique aqui!

More Posts - Website

Deixe Seu Comentário

comentários

Veja também

shutterstock_411057103

Alimento saudável também engorda?

Atualmente, são extensas as publicações que nos informam o que devemos ou não comer para ...