Home / Alimentação / Dieta Low Carb: conheça o seu efeito no organismo quando se tem diabetes tipo 1

Dieta Low Carb: conheça o seu efeito no organismo quando se tem diabetes tipo 1

Sinais de alerta, cetose e resistência à insulina

low-carb
Recentemente um estudo, publicado na revista Pediatrics sobre a dieta low carb como ferramenta do tratamento dos pacientes com diabetes mellitus tem gerado polêmica e questionamentos, especialmente pelo fato de ser usada em crianças.

Antes de apresentarmos a explicação da nutricionista Deise Santiago, fonte desta matéria, é importante ressaltar que a Sociedade Brasileira de Diabetes não indica a realização de dieta com conteúdo muito baixo de carboidratos para pessoas com diabetes mellitus tipo 1, especialmente crianças, tendo em vista que, tal procedimento, traz potencial risco à saúde e ao desenvolvimento normal da criança e adolescente, não havendo ainda evidência de sua eficácia e segurança. – Departamentos de Nutrição e de DM 1 da SBD -.

A nutricionista Deise Santiago nos explica que a referida dieta provoca cetose no organismo, ou seja, o aumento de corpos cetônicos no sangue, que proporciona acidez sanguínea se mantida por longos períodos.

“Há muita controvérsia com relação a esse tema, pois estudos na América do Norte e na Europa sugeriram aumento da mortalidade associada à baixa ingestão de carboidratos e, por outro lado, estudos multinacionais e asiáticos recentemente publicados, relataram aumento da mortalidade associada à alta ingestão dos mesmos, o que nos leva concluir que tanto a ausência como o excesso de carboidratos pode ser extremamente perigoso para o organismo”, ressalta Deise.

Além de cetoacidose, importante lembrar que o risco de hipoglicemia é maior aos adeptos da dieta, resultando ainda em doses de insulina incorretas e a ocorrência de hipoglicemias noturnas.

Dieta: sinal de alerta

Um grande malefício à saúde é fazer a dieta sem que o médico tenha conhecimento. Sendo assim, de que forma ele poderá fazer os ajustes de insulina? Se o objetivo é o emagrecimento ou redução de gordura, sem acompanhamento do médico e nutricionista, haverá redução de músculos (massa magra) e o efeito sanfona logo irá ocorrer, levando a resistência à insulina.

Não há estudos que comprovem a redução da hemoglobina glicada após uma dieta de baixo consumo de carboidratos, mas é fato que, se as pessoas adotarem um estilo de vida saudável com cardápio alimentar balanceado, associado à prática regular de esportes, ajudarão consideravelmente no controle glicêmico

Como enfatizado em artigo publicado pela Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD), “Crianças e adolescentes podem ter uma interferência no crescimento e desenvolvimento, além do aumento da ocorrência de doenças cardiovascular e renal a longo prazo, já que uma dieta restritiva de carboidratos estimula o aumento no consumo de gorduras”.

Por isso, se você quiser evitar problemas no seu maior patrimônio: a sua saúde, preste atenção ao conselho de quem entende do assunto:

“Nem mais, nem menos. Consumir todos os tipos de nutrientes em pequenas quantidades é saudável. Não devemos excluir ou acreditar que apenas um deles é suficiente para o organismo. Nossa “máquina” é muito complexa e precisa de mais estudos para comprovar que algo, como a exclusão de um grupo alimentar, irá trazer tantos benefícios como os que a mídia vem mostrando”, alerta a nutricionista Deise Santiago.

deise-final

*Deise Santiago
É nutricionista clínica e esportiva, e educadora em diabetes.

 

 

 

Veja também:

Conheça mais sobre a contagem de carboidratos

Carboidratos x Gorduras qual a melhor opção

Dieta Colorida

Portal De Bem Com a Vida

Feito com muito carinho por profissionais de saúde, comunicação e por quem entende e convive com Diabetes, para você ficar bem antenado.

More Posts

Deixe Seu Comentário

comentários

Veja também

andre_capa

Um novo mundo depois do Diabetes

Aos dezenove dias do mês de fevereiro de 2008, nasceu a minha princesa, a Ana ...