Home / Exercícios Físicos / Esportes de A - Z / Envelhecer com sabedoria

Envelhecer com sabedoria

Sem limites para a busca do bem-estar

 

“Domínio significa ser senhor de seu próprio destino, ser a pessoa que decide como você vai viver, reagir e sentir em todas as situações que a vida lhe apresentar. Uma pessoa com domínio tem absoluta certeza de que pode dominar qualquer situação, porque acredita profundamente em si. Não tem tempo para autocomiseração ou receio de que não possa dar conta do recado. Quem tem domínio encara os desafios como a própria essência da vida, e os recebe de braços abertos.

O domínio é um nível que você pode desfrutar. Controle o seu próprio mundo e não aceite nada de inferior. Vá à busca do que realmente quer e sente no mais íntimo de si mesmo, em vez de se apegar ao familiar e rotineiro, e permanecer nos degraus mais baixos da escada. “Confie em si mesmo e aceite os riscos, consiga assim o sucesso, perseguindo aquilo que é importante para sua vida.”

Esse pensamento de um autor desconhecido reflete bem o desafio de quem é diagnosticado com diabetes. Quando se tem conhecimento sobre a condição, as pessoas reagem de formas diversas. Se após o impacto, a pessoa tiver domínio da situação e enfrentar o desafio, conseguirá dar a volta por cima de qualquer dificuldade.
Foi o que aconteceu com Milena Klein, estudante, 18 anos, seis deles com diabetes. “Sempre fui uma menina muito ativa, desde pequena jogava futebol e ia para o colégio de bicicleta. Aos 12 anos, emagreci seis quilos em quatro dias. Fiz o exame de sangue e fui diagnosticada com diabetes. No início foi bem difícil me adaptar com a nova situação. Abandonei boa parte das atividades físicas e só mantive a academia”, relata Milena.

“Aos poucos, fui voltando a me exercitar. Comecei a correr e, desde setembro de 2009, iniciei natação. O resultado foi surpreendente. Depois de três meses, meu professor, Winston Boff, conversou comigo e começamos a treinar mais forte para saber se eu poderia competir e controlar melhor meus níveis glicêmicos”, acrescenta.
A estudante começou a nadar três vezes por semana com treinos de uma hora e meia e também continuou a correr e pedalar. Já participou de duas provas e está melhorando cada vez mais seu rendimento para que, em 2013, possa participar da prova Iron Man, modalidade que reúne, em média, 3,8 km de natação, 180 km de ciclismo e 42 km de corrida.
As mudanças não pararam por aí. Estudante de Educação Física, Milena foi convidada também a dar aulas de natação.

Qualidade de vida nas águas
Sempre preocupada com o bem-estar, a jovem monitora a glicemia antes, durante e depois dos treinos de natação. “Já percebi que preciso ficar atenta com os sintomas de hipoglicemia, pois o treino traz uma sensação de relaxamento, muito próxima aos sintomas de hipoglicemia. Além disso, quando a água da piscina está fria, há maior possibilidade de cair a taxa glicêmica, já que o corpo gasta mais energia para conseguir manter sua temperatura”, afirma. Para não ter hipoglicemia, Milena percebeu que precisa reduzir 14 unidades de insulina quando pratica natação.

É importante ressaltar que a natação melhora a vascularização, auxilia o retorno venoso durante a atividade, propiciando efeitos de uma prática aeróbica, além da ausência de atrito com a pele e possíveis escoriações. Milena sente os efeitos da natação mesmo depois de seis horas do treino finalizado.
Essa é a opinião também de Winston Boff, mais conhecido como Tom, educador físico do Instituto da Criança com Diabetes, de Porto Alegre, “o principal benefício da natação é a melhora da qualidade de vida, acrescido de maior adesão ao tratamento, integração, mais segurança, sem citar maior controle metabólico, com glicemias mais próximas das taxas desejáveis e aumento da autoestima”.

Winston frisa os cuidados necessários para a prática: “fazer os exames de sangue, de fundo de olho, cardiovasculares, dos pés e de nefropatia regularmente, observar sempre a postura e a flexibilidade, fazer a automonitorização antes e ao final do treino, ter orientação para a prática, competições e descanso, saber o efeito da medicação, ter um plano alimentar e corrigir as hiperglicemias”.

“Hoje, com os treinos que faço no ICD com o Winston, pude conhecer mais os efeitos de cada modalidade no meu organismo com relação à ação da insulina e também à queima de açúcar. Adquiri mais autoconhecimento para realizar qualquer atividade”, acrescenta Milena.

Para quem não sabe o ICD é uma entidade privada, sem fins econômicos que presta atendimento aos pacientes com diabetes, por meio da educação em diabetes, tratamento e assistência social nas modalidades Hospital Dia e ambulatório. A natação é gratuita a todos os pacientes, graças a uma parceria com o Sport Club Internacional.
Assim como a estudante, a escolha é sua. Ter o domínio da situação traz mais segurança para realizar qualquer atividade sem obstáculos, buscando uma vida plena sem limites!

Comentários

Deixe Seu Comentário

comentários

Veja também

monica_print

Conheça a trajetória de Mônica Santos com o Diabetes

Mônica Santos, 31 anos e há 19 diagnosticada com diabetes mellitus tipo 1, licenciada em ...