Home / Nutrição / Alimentação Saudável / Estudo esclarece que o peso não deve ser o único indicador de risco de doença cardiovascular! Entenda os motivos aqui!

Estudo esclarece que o peso não deve ser o único indicador de risco de doença cardiovascular! Entenda os motivos aqui!

“Obesos saudáveis” e “magros doentes” têm maior risco de doença cardiovascular

ob

Caros leitores, para que possamos compreender esse estudo, vamos explicar em primeiro lugar, o que a medicina entende por “obesidade saudável”.

Um obeso é considerado saudável quando, apesar do peso elevado, não apresenta indícios de doenças metabólicas como diabetes, hipertensão e colesterol elevado.

Do mesmo modo, o fato de uma pessoa ser magra, não implica que ela não possa ter síndrome metabólica, ou seja, ser hipertensa, ter colesterol elevado e diabetes. Portanto, para esses casos, os indivíduos magros não estão isentos de doenças cardiovasculares. A pesquisa também apontou aumento de risco nesse grupo.

O estudo foi publicado no Journal of the American College of Cardiology, onde os pesquisadores analisaram 3,5 milhões de adultos britânicos. A análise foi feita em duas etapas: primeiro, foram identificados indivíduos livre de doenças cardiovasculares; depois, pesquisadores reavaliaram o registro desses mesmos indivíduos após cinco anos para verificar a ocorrência de alguma condição cardiovascular.

Depois da análise, os indivíduos foram divididos em quatro grupos fenotípicos:  indivíduos abaixo do peso – índice da massa corporal (IMC) menor que 18; indivíduos com peso normal – IMC maior que 18 e menor que 25; indivíduos com sobrepeso – IMC maior que 25 e menor que 30; indivíduos obesos – IMC maior que 30.

A pesquisa mostrou que indivíduos obesos “metabolicamente saudáveis” apresentaram maior risco de doenças cardiovasculares em comparação àqueles que também não possuem doenças metabólicas, mas têm peso normal.

O estudo ainda mostrou que há um risco 49% maior de doença cardíaca coronária, 7% de doença cerebrovascular e risco aumentado de 96% de insuficiência cardíaca. A pesquisa também comprova que indivíduos com peso normal, mas portadores de doença metabólica estão em maior risco.

Os cientistas chegaram à conclusão de que o peso não deve ser o único indicador de risco de doença cardiovascular, tendo em vista que magros com doenças metabólicas também estão em maior risco.

“Mesmo que uma pessoa não esteja “enquadrada” na síndrome metabólica, mas se estiver com sobrepeso ou seja obesa, é importante o médico orientá-la a emagrecer, pois a obesidade está relacionada ao aumento da pressão, diabetes, problemas articulares como artrose e imobilidade, acidente vascular cerebral (AVC) e aumento de risco de certos tipos de tumores malignos como o câncer de mama e endométrio, adenocarcinoma de esôfago, câncer de fígado, rim, pâncreas, coloretal e bexiga”, alerta a endocrinologista Andressa Heimbecher Soares.

Ainda segundo ela “Os riscos de uma pessoa com diabetes ter problemas cardiovasculares são altos. A molécula de LDL (colesterol ruim) se estiver aumentada, oferece danos por ser mais “aterogênica”, ou seja, tem maior capacidade de se infiltrar na parede dos vasos sanguíneos e gerar placas de aterosclerose. Além disso, o diabetes com ganho de peso oferece maior probabilidade do aumento da pressão arterial, gerando um ambiente mais inflamatório que pode levar ao desenvolvimento de doenças cardíacas”.

“Acho importante esclarecer que o estudo foi relevante no esclarecimento de que não é somente o peso que define a saúde de uma pessoa, mas sim um conjunto de fatores. Mas isso não quer dizer que o paciente que está acima do peso se estiver com todos os exames saudáveis não apresenta riscos à saúde, pelo contrário. Já está mais que comprovado que, a longo prazo, os indivíduos obesos vivem menos e têm maiores riscos à saúde. A avaliação do paciente deve ser feita de forma global sempre”, conclui a endocrinologista.

Para saber mais acesse: https://g1.globo.com/bemestar/noticia/obesos-saudaveis-e-magros-doentes-tem-maior-risco-de-doenca-cardiovascular-diz-estudo.ghtml

Vanessa Pirolo

Jornalista, criadora do blog convivência com diabetes, tem diabetes desde o seus 18 anos, e redatora do Portal DBCV. Quer me conhecer melhor? Então, clique aqui!

More Posts - Website

Deixe Seu Comentário

comentários

Veja também

^F0AEE20E70FB534FD1365013DDD73ECC25FBDF7F8DFBD7AD02^pimgpsh_fullsize_distr

A automonitorização glicêmica torna o paciente com diabetes mais independente e cooperativo com o tratamento! Confira a matéria aqui!

A automonitorização intensiva também melhora o controle glicêmico de pessoas com diabetes mellitus tipo 2 ...