Home / Como lidar com o Diabetes / Estudo sobre sedentarismo

Estudo sobre sedentarismo

População mais fisicamente ativa previne uma série de doenças, segundo estudo

Foi publicado um recente estudo na revista médica Lancet, que relata que um terço dos adultos não têm praticado atividades físicas suficientes, o que tem causado 5,3 milhões de mortes em todo ano.

Segundo o estudo, a inatividade física é responsável por uma em cada dez mortes por doenças como problemas cardíacos, diabetes e câncer de mama e do cólon, diz o estudo. Os pesquisadores dizem que o problema é tão grave que deve ser tratado como uma pandemia.

Já na América Latina e Caribe, esta pesquisa contabilizou que estilo de vida sedentário é responsável por 11,4% de todas as mortes por doenças como problemas cardíacos, diabetes e câncer de mama e do cólon. No Brasil, esse número sobe para 13,2%. No país, a inatividade é a causa de 8,2% dos casos de doenças cardíacas, 10,1% dos casos de diabetes tipo 2, 13,4% dos casos de câncer de mama e 14,6% dos casos de câncer de cólon.

O estudo também relata a importância de que os adultos façam no mínimo 150 minutos de exercícios moderados por semana, o que diminui os riscos de doenças cardiovasculares principalmente.

De acordo com o endocrinologista Marcio Krakauer, presidente da Associação Diabetes do ABC, “além das doenças cardiovasculares, a atividade física diminui também o risco de desenvolvimento do diabetes, hipertensão, artrose e doenças degenerativas, Alzheimer, e reduz os sintomas da menopausa em mulheres”.

“Outro benefício é que com a atividade física, a pessoa não ganha peso e queima um  percentual de gordura, o que reduz o risco de câncer de mama e do cólon do útero. A fim de atingir as pessoas em larga escala, o governo precisa incentivar ações e campanhas para que as pessoas possam praticar em segurança”, aponta Dr. Marcio.

“Em Amsterdã, na Holanda, a cidade inteira tem ciclovias, o que ajuda as pessoas a praticarem exercício físico. Há alguns esforços importantes que já começaram a acontecer, em São Paulo, como a ampliação da ciclovia, e na região do ABC, as praças e parques já contam com aparelhos que incentivam à prática”, explica Dr. Marcio.

“Nas escolas, deveria haver mais estímulo para que as crianças fizessem as aulas de educação física, sem que essa disciplina seja negligenciada, como acontecem em algumas escolas. Outro diferencial é realizar campanhas nas redes sociais como também nas mídias para que sensibilizassem a população, e trouxessem mais qualidade de vida às pessoas”, registra Marcio.

Deixe Seu Comentário

comentários

Veja também

andre_capa

Um novo mundo depois do Diabetes

Aos dezenove dias do mês de fevereiro de 2008, nasceu a minha princesa, a Ana ...