Exames

Alcançar a longevidade plena está nas nossas mãos

Independentemente da fase de vida em que o ser humano se encontra, devemos sempre nos cuidar para que possamos amadurecer com qualidade de vida. Segundo o grande arquiteto Oscar Niemeyer que compartilha desse pensamento, “o segredo da longevidade é não viver a cada dia como se fosse o último e sim como se fosse o primeiro”.

Pensando nisso, ao longo de nossa existência, além de uma dieta balanceada, realização de exercícios físicos e um sono tranquilo, precisamos também consultar médicos que possam nos ajudar a ter qualidade de vida não apenas identificando precocemente problemas que possam comprometê-la como também qualificando-os através da realização de exames e administrando-os com tratamentos adequados.

“Um grama de prevenção vale mais que uma tonelada de remédios. É melhor prevenir do que remediar.”

Dr. Eduardo Finger, clínico geral e pesquisador responsável por coordenar o departamento de pesquisa e desenvolvimento do SalomãoZoppi Diagnósticos comenta sobre o que pede para seus pacientes, “após uma análise clínica, na primeira consulta, peço hemograma, glicemia de jejum, colesterol total e frações na primeira consulta. Se houver suspeita de alguma doença, peço outros exames”.

Para Dra. Denise Ludovico Castro, endocrinopediatra, pesquisadora clínica do CPClin, “para as crianças que vão ao consultório, sem queixa específica, analiso o histórico familiar, faço exame clínico e se constato uma possível suspeita de diabetes ou se há indicação de obesidade, peço glicemia de jejum, colesterol total e frações e triglicérides, hormônios tireoidianos. Se a criança já tem diabetes, além desses exames, acrescento hemoglobina glicada a cada quatro meses, dosagem de anticorpos contra tireoide e anticorpos anti-endomisio (checar se há tireoidite ou doença celíaca – ambas, doenças autoimunes como o Diabetes Mellitus tipo 1), exames para avaliação renal (uréia, creatinina e  proteinúria de 24 horas) e fundo de olho anualmente”. De acordo com Dr. Eduardo, “após os 35 anos, a capacidade regenerativa do organismo começa a diminuir e com isso, inicia-se a fase onde os problemas da terceira idade começam a ser incubados, principalmente se a pessoa não tem um estilo de vida saudável. Por isso, é necessário fazer um acompanhamento mais estreito com o médico”.

“É recomendável a todas as pessoas de diferentes idades consultar um médico de confiança uma vez ao ano. Geralmente para controlar quem tem diabetes, o médico deve pedir regularmente hemoglobina glicada, microalbuminúria, fundo de olho, tempos em tempos é necessário fazer teste de esforço, eletrocardiograma e ecodoppler para avaliação cardiovascular, raio X de tórax, creatinina, hormônio tiroestimulante ( a cada dois anos), ácido úrico e uréia, isto se durante o acompanhamento, o exame clínico não apontar outras questões que necessitem avaliação específica”, aponta Dr. Eduardo.

“Se a família tiver o histórico de câncer do cólon, tanto homens e mulheres precisam fazer a colonoscopia a cada 5 anos, sendo a primeira entre 40 e 50 anos. Já as mulheres precisam fazer a mamografia a partir dos 40 anos e após a primeira relação sexual, realizar o papanicolau e colposcopia a cada dois anos”, complementa Dr. Eduardo.

Por isso, que o ditado popular: “um grama de prevenção vale mais que uma tonelada de remédios, É melhor prevenir do que remediar” faz todo sentido para ter uma vida saudável. O diagnóstico precoce de qualquer condição médica não apenas minimiza o impacto do tratamento, mas aumenta significativamente as chances de cura.

Comentários

Deixe Seu Comentário

comentários

Veja também

juntos

Roche Diabetes Care promove o Programa Juntos & Conectados em Sorocaba

A Roche Diabetes Care criou O Programa de Educação Continuada Juntos & Conectados para levar ...