Home / Exercícios Físicos / Esportes de A - Z / Exercícios Físicos para 2015

Exercícios Físicos para 2015

Metas para tornar o corpo mais ativo e colher mais benefícios em 2015

Exercícios Físicos para 2015Sempre quando iniciamos o ano, temos o hábito de colocarmos metas na nossa vida como realizar a prática de atividade física ou muitas vezes aumentar a nossa dedicação a este segmento, se já praticamos algo. Para dar dicas sobre este tema, o Portal De Bem com a Vida convidou a educadora física Sonia de Castilho.

Para as pessoas que precisam deixar o sedentarismo de lado, “o primeiro passo é ‘sair do sofá’. É deixar a zona de conforto. Muitas vezes isso significa conscientemente se forçar a começar! Mas não é preciso começar caminhando uma hora no parque mais próximo ou se matriculando em uma academia. A primeira coisa a fazer é adotar um padrão de vida ativo, ou seja, acrescentar mais movimento no seu dia-a-dia: ir a pé para os lugares (escola, trabalho, padaria, mercado), subir escadas, passear com o cachorro… A ideia é que esses movimentos somem pelo menos 30 minutos, todos os dias”.

Agora para os indivíduos que têm o diabetes, a educadora física reforça “para estas atividades do dia-a-dia, não é preciso nenhum cuidado além do básico para quem tem diabetes. Ou seja, carregar sempre algum carboidrato simples para correção de uma eventual hipoglicemia e uma identificação falando do diabetes”, explica Sonia.

No caso de pessoas que fazem regularmente, mas gostariam de aumentar a intensidade, Sonia alerta “vá devagar.  Se você, por exemplo, caminha ou nada ou corre ou anda de bicicleta, aumente primeiro a duração do treino. Quando ficar confortável, você pode então aumentar a intensidade (caminhar mais rápido ou trotar, nadar mais rápido etc.). Aumente um pouco aqui (duração), um pouco dali (intensidade). Se você faz exercícios com pesos, converse com seu professor e mude o treino! Você pode também aumentar a frequência: se você faz atividade 3 vezes por semana, aumente para 4, depois para 5″.

Nestes casos, a pessoa com diabetes precisa ter consciência de que “qualquer mudança na atividade, seja de duração, intensidade ou frequência, precisa ser monitorada. Ou seja, aumente o número de testes de glicemia para saber como seu corpo está reagindo ao novo treino. O maior risco, claro, é a hipoglicemia. Monitore antes da atividade, depois, durante se for uma atividade longa e, ao longo do dia, principalmente quando o treino mudou. E valem os cuidados citados acima: tenha sempre por perto um alimento com carboidrato simples para correção de hipoglicemia (açúcar, refrigerante normal, suco concentrado, bala, sachê de mel ou de glicose)”, deixa registrado Sonia.

“A atividade física sempre traz benefícios. O controle glicêmico melhora com a maior absorção de glicose pelos músculos. Além disso, há uma diminuição da resistência à insulina, ou seja, a insulina (injetada ou produzida pelo corpo) passa a funcionar mais adequadamente. E os benefícios vasculares são inúmeros, reduzindo os riscos de infarto e AVC (derrame). Exercícios também ajudam a controlar a pressão arterial, o colesterol, as triglicérides, mantêm os ossos fortes e auxiliam no controle do peso corporal. Ao se adotar um padrão de vida mais ativo, já traz ganhos: 30 minutos de atividade física, contínuos ou não (ou seja, movimentos incorporados ao dia-a-dia), reduzem em mais de 60% os riscos cardiovasculares”, destaca a educadora física.

Para finalizar, Sonia ressalta “às vezes o corpo tem preguiça. Ele tende a se manter onde está. Fica difícil sair da cama, da poltrona, do carro….Mas se inicialmente você se esforçar e ir de encontro ao movimento, o corpo também vai se acostumar e vai procurar se manter em movimento. As adaptações fisiológicas para que isso aconteça trazem benefícios incomensuráveis, que incluem aumento do bem-estar e da autoestima. Adote uma atividade física. E divirta-se!!

Comentários

Deixe Seu Comentário

comentários

Veja também

monica_print

Conheça a trajetória de Mônica Santos com o Diabetes

Mônica Santos, 31 anos e há 19 diagnosticada com diabetes mellitus tipo 1, licenciada em ...