Home / Exercícios Físicos / Esportes de A - Z / Importância dos esportes para a saúde do coração

Importância dos esportes para a saúde do coração

Benefícios da Atividade Física na Saúde do Coração

Importância dos esportes para a saúde do coraçãoA doença cardiovascular (DCV), (incluindo a doença arterial coronariana (DAC), acidente vascular cerebral (AVC) e doença arterial periférica (DAP)), é importante causa de morte em populações, especialmente em pessoas com diabetes. Esses indivíduos apresentam risco aumentado de três a quatro vezes ao sofrer evento cardiovascular e o dobro do risco ao morrer deste evento, quando comparados à população geral. Tem havido declínio na mortalidade por DCV, porém a queda nas mortes por DAC em pacientes com s condição têm sido bastante inferior em relação aos que não possuem a doença. Vários fatores presentes no diabetes favorecem a maior ocorrência de DCV, como a hiperglicemia e a resistência à insulina.

Recentemente, o estudo Inter Heart mostrou que o risco populacional de infarto agudo do miocárdio (IAM) atribuído ao diabetes mellitus foi cerca de 10% considerando diferentes regiões geográficas e etnias. Diante das projeções de prevalência crescente do diabetes nas populações e de seu forte impacto na morbidade e mortalidade especialmente cardiovascular, prevenir e tratar o DM são de fundamental importância em termos de saúde pública.

Por outro lado, não há dúvida de que a melhor maneira de evitar o infarto é reduzir a exposição aos fatores de risco: fumo, obesidade, diabetes, hipertensão, níveis altos de colesterol, estresse, vida sedentária e / ou histórico pessoal ou familiar de doenças cardíacas.

A grande maioria das evidências de que o exercício físico traz benefícios cardiovasculares provém de estudos observacionais. Um trabalho realizado com 3.000 indivíduos com diabetes, aqueles que andavam por no mínimo duas horas na semana tiveram menor taxa de mortalidade, comparados com os inativos; um outro estudo realizado na Finlândia com mais de 3.000 pessoas com diabetes com atividade física ocupacional e de lazer associou-se com redução significante da mortalidade geral e por doença cardiovascular.

Para sabermos como o exercício atua diretamente na saúde do coração, o educador físico William Valadares, assim esclarece “O exercício físico deve ser colocado na rotina diária de todas as pessoas, aliado a uma alimentação balanceada. Esse é o segredo para a longevidade com qualidade”.

“A prática regular de atividade física atua beneficamente no organismo reduzindo o índice de massa corpórea IMC); com isso, o indivíduo consegue emagrecer. Promove a redução da pressão arterial, mantendo a mesma estabilizada, reduz a hemoglobina glicada (HbA1C). Esses fatores citados reduzem o risco de eventos cardiovasculares”, destaca o educador.

William enfatiza que “a manutenção do peso corporal em nível adequado é importante, porém, estudos atuais demonstram que indivíduos acima do peso praticantes de esportes possuem corações saudáveis e apresentam risco menor de ocorrência de infarto em relação a pessoas magras sedentárias”.

Indivíduos com sobrepeso e obesos se não mudarem o estilo de vida adotando hábitos saudáveis, tais como alimentação balanceada e a prática de esportes diários, serão acometidos pela síndrome metabólica, que por definição consiste em um conjunto de fatores individuais que aumentam o risco de desenvolver doenças cardiovasculares e diabetes mellitus tipo 2. Esta síndrome foi pesquisada por Gerald M. Reaven e publicada na Revista Diabetes Care, que constatou que as doenças cardiovasculares estavam muitas vezes associadas à obesidade.

O paciente terá síndrome metabólica quando possuir três dos cinco sintomas:

  • Obesidade central: circunferência da cintura superior a 88cm na mulher e 102cm no homem;
  • Hipertensão arterial: pressão arterial sistólica >130mmHg e pressão diastólica > 85mmHg;
  • Glicemia: acima de 110mg/dl ou diagnóstico de diabetes mellitus;
  • Triglicérides: > 150mg/dl dosados no sangue;
  • HDL colesterol (“colesterol bom”): abaixo de 40mg/dl em homens e de 50mg/dl em mulheres, dosado no sangue.
Comentários

Deixe Seu Comentário

comentários

Veja também

monica_print

Conheça a trajetória de Mônica Santos com o Diabetes

Mônica Santos, 31 anos e há 19 diagnosticada com diabetes mellitus tipo 1, licenciada em ...