Home / Nutrição / Alimentação Saudável / Xarope de Milho e Frutose

Xarope de Milho e Frutose

Xaropes de Milho e Frutose – Doces Inimigos

Xarope de Milho e FrutoseDr. Ivan Cesar O. Correia de Sousa*

Evitar o xarope de milho e de frutose presentes nos alimentos industrializados como: refrigerantes, sucos prontos para consumo (suco de caixinha), condimentos (ketchup e mostarda), frutas em conserva (enlatados), geleias, doces pastosos, bolos, pudins, pó para bebidas, entre outros traz um benefício imenso ao organismo. O xarope de milho é nocivo à saúde e é considerado um dos responsáveis pelo sobrepeso em crianças, favorecendo o surgimento do diabetes, obesidade e redução da expectativa de vida.

Os xaropes de glicose (milho) e de frutose diferem com relação à origem, porém ambos são considerados uma solução concentrada de açúcar e de valor monetário reduzido para ser produzido. Nos Estados Unidos, esse ingrediente é muito comum e faz parte da alimentação de grande parte da população. No Brasil, o uso do xarope de milho é permitido pela Agência de Vigilância Sanitária (ANVISA) como fonte de carboidratos nos alimentos, incluindo o público infantil.

Estudos revelaram que os açúcares têm se mostrado nocivos à saúde. Já sabemos que a glicose é prejudicial ao organismo, mas pesquisas recentes comprovam que o excesso de frutose é ainda pior. Esta é derivada do açúcar das frutas e do xarope de milho que contém frutose concentrada e uma combinação de partes iguais de glicose e frutose. Após a absorção desses açúcares pelo intestino, a frutose é metabolizada no fígado antes da glicose. A partir desse momento, quando ocorre excesso de frutose, desenvolve-se uma situação metabólica anormal chamada de resistência à insulina e, além disso, a via metabólica desta substância em excesso estimula a liberação de substâncias inflamatórias e de radicais livres de oxigênio, que podem levar ao desenvolvimento de doença cardiovascular, hipertensão arterial e obesidade. O excesso de frutas na forma de sucos também é fonte de ácido úrico, fator de risco para a doença cardiovascular. De outra maneira, as frutas in natura por trazerem a frutose combinada com fibras, minerais e vitaminas, não causam a mesma alteração, pois apresentam absorção mais lenta, assim como é mais lento o seu metabolismo no fígado. Portanto, a frutose nesse caso não está em excesso e torna-se saudável.

Estudos mostram que a ingestão excessiva de frutose tem impacto no desenvolvimento da síndrome metabólica, porém o mecanismo de ação da frutose no processo não está completamente elucidado. A produção de radicais livres de oxigênio, conhecido como estresse oxidativo e a resposta inflamatória são sugeridas como de particular importância.

Portanto, para evitar tantos danos à saúde, quando oriento a dieta a pacientes seja para perder peso ou normalizar a glicemia, em caso de diabetes ou predisposição, além de sugerir a redução de alimentos gordurosos, também alerto sobre o excesso de carboidratos provenientes dos açúcares, como os encontrados nos doces, massas, raízes (batata), leite, frutas e principalmente no suco de fruta.

Para pacientes com diabetes, a sua dieta deve ser restritiva em calorias de modo geral para que perca peso se houver necessidade. Como regra geral, deve evitar os carboidratos simples (sacarose, frutose e lactose), utilizando os carboidratos complexos encontrados nas verduras, legumes e grãos (feijões, aveia, trigo integral, milho, soja, grão de bico, lentilhas e ervilhas, entre outros), mas sem exagero. As fontes de proteínas principais devem ser magras (peixes, aves, carnes, queijos e ovos). Recomendo o azeite no lugar dos óleos refinados. Não recomendo manteiga e nem as manteigas vegetais por serem industrializadas e possuírem gorduras trans. Quanto ao consumo de leite, oriento na forma de fermentados como a coalhada, iogurte, Kefir e os queijos, que são de mais fácil digestão e tem efeito probiótico. A Organização Mundial de Saúde define probióticos como “organismos vivos que, quando administrados em quantidades adequadas, conferem benefício à saúde do hospedeiro”.

Quanto aos iogurtes processados com leite integral são ótimos e deliciosos, mas para pessoas que devem restringir a gordura seja para emagrecer, por estar com colesterol alto e possuir doença cardiovascular ou diabetes, aconselho adotar a versão desnatada.

Oriento ainda o consumo de muitas verduras, legumes e algumas frutas por dia. São incríveis fontes de vitaminas, sais minerais e fibras. Com a variabilidade de cores nos disponibilizam várias vitaminas e outros produtos antioxidantes como os flavonoides, antocianinas e resveratrol essenciais para combater os radicais livres, responsáveis pelo envelhecimento precoce e o desenvolvimento de algumas doenças.

Em resumo, o consumo do açúcar em pequenas quantidades e de poucas frutas in natura diariamente não está relacionado a doenças, ao contrário. No entanto, seu uso abusivo em suco de frutas e alimentos, que contenham em sua composição o xarope de milho com alta concentração de frutose está diretamente associado ao aumento da incidência da síndrome metabólica e de suas principais consequências: a doença cardiovascular, o diabetes e a obesidade.

 

*Dr. Ivan Cesar O. Correia de Sousa é médico especialista em endocrinologia e nutrologia, com pós-graduação em neurointensivismo. Integra o corpo clínico do Hospital Sírio Libanês em São Paulo.

Comentários

Deixe Seu Comentário

comentários

Veja também

beenfícios da roma_texto

Você conhece os benefícios da romã?

A romã, cujo nome científico é Punica granatum, originária do Oriente Médio, embora muito conhecida ...